Golpe e Fraude: como proteger sua empresa e seus clientes?7 min leitura

Ouça este artigo!
homem de negócios com as mãos na cabeça sentado no escritório
“Mais de 40% das pessoas disseram ter recebido pedidos fraudulentos de informações bancárias” Fonte: Febraban

Golpe e fraude (infelizmente) são cada vez mais frequentes nos dias de hoje.

Os golpistas estão mais engenhosos e farão o possível para confundir e enganar pessoas ou até mesmo empresas vulneráveis.

Duvida? Veja os termos “ Golpe e Fraude ” na aba de notícias do Google!

A boa notícia é que podemos nos prevenir e com um pouco de atenção aos detalhes é possível identificar golpe e fraude antes de ser feito de vítima.

Continue a leitura e saiba como!

Golpe e fraude o que são?

Fraude em conceito é um ato enganoso, de má-fé que tem o objetivo de enganar alguém.

Já o golpe tem significado mais ligados à luta ou combate.

No entanto em essência o sentido é semelhante, pois o objetivo do golpe é atingir e causar dano a alguém em benefício próprio.

Ambos são sinônimos de problema, pois uma vez aplicados, os danos são irreversíveis e na maioria dos casos os golpistas saem impunes.

Com a pandemia as pessoas passaram a realizar mais transações via internet e seja pela falta do mínimo de segurança ou por não reconhecerem facilmente a abordagem de golpe, muitas vítimas são feitas nesse cenário.

Uma recente pesquisa da C6 Bank com Ipec Inteligência diz que 55% das pessoas das classes A, B e C com acesso à internet sofreram alguma tentativa de golpe e fraude.

No varejo, as vítimas são pessoas com pouco domínio da tecnologia, as quais são mais vulneráveis durante essa época de final de ano, pois estão em busca de grandes promoções, como a Black Friday, por exemplo.

Devido ao desconhecimento desses consumidores quanto às práticas fraudulentas e quais os tipos mais comuns de abordagens acabam não conseguindo reconhecer as informações falsas replicadas pelos golpistas.

Engenharia social

A pesquisa da C6 Bank mostrou que 56% dos brasileiros já impediram algum parente de cair em um golpe, o que comprova que fraudadores e golpistas estão fazendo mais uso da engenharia social para enganar as pessoas. Outros indícios de que golpistas estão mais ficados em engenharia social são os principais canais para as tentativas de golpes são eles:

  • Telefone (54%);
  • WhatsApp (48%);
  • SMS (39%);
  • E-mail (38%);
  • E as redes sociais, citadas por 30% dos entrevistados como o canal mais usado pelo golpista para fazer contato.

Na recente pesquisa do Mobile Time é comprovado esse cenário, com 17% dos brasileiros que usam smartphone já terem tido seus dados pessoais (nome, CPF, e-mail etc) usados por terceiros em alguma fraude ou golpe.

Isso, segundo a pesquisa, é resultado de vazamento de dados, que após ficarem públicos na internet, rapidamente são vendidos na Dark Web a criminosos, eles então aplicarão golpes com os dados das vítimas.

Tudo mostra que os golpistas estão mais ousados, se passando por representantes de bancos, operadoras de crédito, entre outras instituições de algum vínculo financeiro, nos quais possam roubar dados.

A Febraban indicou um aumento de 165% nos golpes de engenharia social (manipulação psicológica para que o usuário forneça senhas e números de cartões) no primeiro semestre de 2021.

Empresas de fechada

Embora o B2C seja o mais afetado por golpistas, o ambiente B2B não fica fora da mira dos golpistas.

De acordo com estudo da ClearSale empresas que nasceram na pandemia têm 452% mais chances de serem alvos de fraudes.

Isso se deve ao fato de acabarem de ter entrado no mercado e isso leva as empresas a serem mais abertas com suas informações e dados da empresa.

Empresas de fachada são fraudadoras por princípio, pois foram criadas para confundir outras empresas com objetivo de aplicar seus golpes.

Vale atentar-se para empresas novas, CNPJs com pouco tempo de atividade e que normalmente mudam com frequência o quadro societário.

A questão deve ser levada muito a sério, pois os impactos financeiros no B2B têm proporções bem maiores. Além do prejuízo financeiro temos também a questão da imagem da empresa perante o mercado.

Pense se um cliente da sua empresa pagar um título fraudado, estamos falando de valores altos, pois a venda entre empresas é de maior valor monetário.

Como evitar golpe e fraude?

Evitar fraude começa com aumento da segurança, optar por meios seguros para realizar inclusão de informações e tratamento seguro e alinhado às normas de privacidade (LGPD) já podem contar bastante a favor das empresas.

Medidas que podem ser tomadas agora mesmo são:

  • Autenticação de contas em duas etapas ou com biometria;
  • Atenção com links desconhecidos;
  • Cautela com seus dados bancários;
  • Uso de cartão de crédito digital: Apenas 29% das pessoas relatam sempre usar o cartão de crédito digital ao fazer compras; cartões dessa modalidade têm números ou códigos de verificação dinâmicos, o que dificulta fraudes.

Lição do artigo!

São várias as formas de se prevenir, porém a busca por informações e conscientização do ambiente de trabalho, e até pessoal, podem trazer resultado imediatos à segurança contra fraude e golpe.

A Simplifica+ conta com o que há de mais seguro em infraestrutura, o que garante um ambiente seguro para nossos clientes e seus clientes realizarem suas atividades com segurança e eficiência.

Quer saber mais como funciona a segurança dentro da Simplifica+?

ola@simplificamais.com.br | +55 (47) 3370-7625 | +55 (47) 99630-0063 | A Plataforma Simplifica+ é um produto Adapcon