Procrastinação: o que é, quais as causas, os efeitos e como superá-la?18 min leitura

Ouça este artigo!

Você já deve ter ouvido isso: Para quê fazer agora o que se pode fazer depois?

O autor da frase é anônimo, pois ela causa vergonha, e claro, ninguém quer bater no peito e dizer que é um procrastinador assumido.

A procrastinação pode causar vários males na vida das pessoas.

Por isso, falar sobre o que é, quais são seus gatilhos, como a procrastinação acontece, são formas melhores de não deixar a procrastinação vencer.

A procrastinação cresce em silêncio e passa a fazer parte do dia a dia das pessoas, e quando não tratada pode adiar uma vida inteira. Por isso, antes de continuar, vamos fazer um combinado?

Leia (ou ouça) todo este artigo, não adie essa leitura!

Este é o primeiro passo para entender o que é preciso fazer para combater a procrastinação, tão rápido quanto ela apareça. Vamos descobrir como:

O que é procrastinação?

Sabe quando temos aquela tarefa não tão empolgante a fazer?

Então, quando a hora de fazer chega, e surgem várias causas e porquês na cabeça para deixar isso de lado, já aconteceu contigo?

Então, isso é procrastinação. Mas fique tranquilo, até 90% das pessoas procrastinam em alguma coisa na vida, de acordo com estudos.

A procrastinação é a ação de adiar uma tarefa sem um bom motivo, consciente das consequências, para fazer algo não importante no lugar.

Procrastinação em essência tem um significado interessante, é um termo vindo do latim, procrastinatus – pro (à frente) e crastinus (de amanhã).

O interessante nesse significado é como ele aponta para preocupações com o futuro, ao invés de viver o momento presente.

Inclusive, procrastinadores em níveis mais sérios, tendem a preocupar-se demais com o futuro ou com o passado, o que os impede de viver o agora.

Esse adiamento pode ser de coisas simples até tarefas importantes, deveres, obrigações, cuidados com a saúde e por aí vai.

Uma maneira pouco perceptível de deixar a procrastinação se instalar no comportamento e ganha campo, é permitir a ação de deixar para depois tornar-se um hábito.

Seja lavar uma louça, fazer um pagamento, terminar um projeto ou somente resolver um problema que só depende de você, e por algum motivo você decide por não decidir no momento.

Reconhece esses exemplos?

Imagino que sim, afinal todo mundo pode procrastinar algo na vida.

Estima-se que até 90% da população mundial procrastina de forma leve em algo.

É bom destacar que a procrastinação vem de uma ação intencional, o que não faz dela uma ação inconsciente.

Em outras palavras, embora o indivíduo não perceba, a decisão de procrastinar é dele.

O que acontece é que, o indivíduo sabe que adia suas tarefas, e em alguns casos, já virou algo tão comum que ele o faz sem pensar, tornou-se hábito.

Por que procrastinamos?

Alguns dirão apenas que pode ser por medo, ansiedade, baixa autoestima, preguiça e por aí vai, no entanto essas são as causas.

Não existe uma solução pronta e nem um porquê isolado, é preciso entender a procrastinação a fundo para reconhecê-la em cada caso.

Há casos, por exemplo, nos quais ela é claramente visível, aí é preciso de ajuda profissional!

No entanto, a procrastinação é uma questão fisiológica que formou-se durante nossa evolução.

Ela vem dos hábitos criados com o passar dos tempos, os quais moldaram nossos comportamentos de hoje, mas sim, de alguma forma a procrastinação sempre existiu.

Embora as prioridades mudaram com o tempo, após muita evolução e com as revoluções, primeiro a industrial e depois a tecnológica, aos poucos nosso senso de gratificação também mudou.

Veja bem, em nosso cérebro temos o córtex pré-frontal, o responsável pela consciência e por planejar comportamentos, pensamentos complexos, tomada de decisão, projetar o futuro.

Essa parte do cérebro está mais ligada à consciência e ao aprendizado, foram essas habilidades que permitiram aos primeiros humanos ocupar territórios e construir coisas.

Temos também o sistema límbico, ele é formado por neurônios, são células que formam uma massa cinzenta chamada de “lobo límbico”, responsável pelas emoções e comportamentos sociais

O sistema límbico é conhecido como o cérebro primitivo, formado a partir do senso de emergência dos mamíferos mais antigos.

Sua função nervosa é impactada por comandos internos em forma de comportamentos que resultam em efeitos positivos ou negativos como um equilíbrio metabólico do organismo.

O sistema límbico é o centro de funções como: saciedade, fome, memória, reprodução sexual, instintos maternos, mas também é responsável por sentimentos como medo e ansiedade.

Dois dos sentimentos causados pela procrastinação, em seu estado crônico, falaremos melhor sobre isso adiante.

Ainda sobre o sistema límbico, ele é o centro do prazer imediato, e dele vem outro sistema interno, o de recompensas no qual é distribuída a dopamina (neurotransmissor responsável pela sensação de prazer) no cérebro, conforme imagem

A dopamina, é um neurotransmissor que realiza o papel principal no sistema de recompensa, é responsável pela sensação de prazer e está diretamente ligada ao controle de movimentos, aprendizado, humor, emoções, cognição e memória.

A dopamina tem uma função determinante no sistema de recompensa, é na prática o reforço positivo, o qual nos ajuda a aprender coisas.

Por exemplo: comer um chocolate é um estímulo direto ao sistema de recompensa, o que quer dizer que o cérebro é inundado com dopamina.

Na evolução o uso eficiente do sistema de recompensas permitiu ao ser humano pensar e planejar melhor, e para isso teve que aprender a adiar sua própria recompensa para alcançar sucesso.

O sistema de recompensa é responsável pela motivação, pela aprendizagem por associação e pelas emoções positivas, especialmente as que dão prazer.

A recompensa é o efeito atrativo e motivacional sobre um impulso que leva o comportamento rumo a um objetivo.

O sistema tem um papel essencial sobre nossa qualidade mental, pois foi ele que permitiu à humanidade evoluir!

Procrastinação pode parecer simples, mas é um processo complexo, e essa é um das causas de muitas pessoas sofrerem com ela, por esse motivo decidimos falar sobre isso e esclarecer o assunto.

O melhor exemplo sobre esse cenário complexo é a excelente palestra de Tim urban no TED Talks.

Urban refere-se ao nosso sistema de recompensas com a figura de um macaco, um detalhe importante sobre o macaco é que ele é uma representação antiga para mente inquieta.

No exemplo, temos um decisor racional que cria, projeto, planeja e executa com olhar para o futuro e o macaco da gratificação imediata, o qual importa-se apenas com facilidade e diversão.

O problema com a facilidade e diversão é que elas não produzem muitas coisas sólidas, afinal nem todas as coisas boas são fáceis, e na verdade muitas delas só são concluídas com trabalho duro.

O perigo da diversão e facilidade sem limites é que elas trazem consigo os sentimentos de culpa, medo, receio, ansiedade, desprezo e por aí vai.

Mas calma, o macaco da gratificação imediata não ganha essa luta por completo, pois ainda na cabeça de um procrastinador crônico as coisas precisam acontecer no final das contas.

Para o macaco não tomar conta, ele é contido, pelo que Urban chama de, “monstro do pânico”, o qual representa a sensação de pânico que aparece assim que o prazo de entrega se aproxima.

Esse ciclo que ele chama de sistema do procrastinador é apenas uma representação para entendermos melhor como o processo acontece, porém a mensagem por trás é entender os passos e reconhecer os estímulos, a fim de não ser mais vítima desse ciclo vicioso.

Dica: O Tim Urban tem um blog dedicado a falar exclusivamente sobre procrastinação, o: wait but why

Quais são as causas da procrastinação?

A procrastinação não é um fenômeno restrito a poucas pessoas ou casos isolados.

Existem, de forma geral, dois tipos, uma procrastinação leve, nela existem prazos para entregas e mesmo que sejam em alguns casos excedidos, ainda assim as tarefas são concluídas.

Estudos dizem que a procrastinação afeta até 90% da população mundial em casos leves, ou seja, todo mundo adia uma tarefa chata, repetitiva e tediosa.

O segundo tipo é a forma mais perigosa, a procrastinação crônica, para você ter uma ideia, a nível global em média 20% dos adultos são procrastinadores crônicos, de acordo com o livro, “Ainda Procrastinando?: O Guia Sem Arrependimentos para Fazer o Que Fazer”

E essa média sobre para os 90% em estudantes e acadêmicos procrastinadores crônicos.

A procrastinação entre estudantes é um assunto tão sério que existe o termo: “Síndrome do aluno/estudante”, que é referência à procrastinação planejada, tida como um adiamento consciente, ou seja, iniciar de fato uma atividade no último momento possível antes do prazo.

Dentre as principais causas estão:

  • Ansiedade,
  • Baixa autoestima,
  • Mentalidade autodestrutiva,
  • Autossabotagem,
  • Medo de falhar,
  • Medo de tomar uma má decisão, entre outras.

Em alguns casos o indivíduo procrastina por achar que trabalha melhor sob pressão ou até que sua alta capacidade lhe permitirá fazer rápido, porém nos dois casos relaxar no prazo não trará superpoderes, pelo contrário, no final a frustação poderá ser maior.

Por isso a principal causa da procrastinação é a incapacidade do indivíduo em gerenciar humores negativos relacionados a tarefas mais difíceis.

Quais são os efeitos da procrastinação?

Muitos são os efeitos da procrastinação e todos vão para um lado mais sombrio do comportamento.

São sentimentos ruins como depressão, entre outros, inclusive, estudos recentes afirmam que procrastinadores crônicos têm maiores riscos de sofrerem problemas de saúde mental e física.

As causas afetam diretamente sua forma de ver o mundo, pois sua satisfação com a vida real, suas obrigações e deveres está afetada pelo ciclo procrastinador, o que acaba em um constante sentimento de vazio.

Normalmente o senso de recompensa do procrastinador crônico é desregulado, pois o fato de o cérebro só querer as gratificações imediatas torna-o viciado na sensação boa das tarefas prazerosas.

O resultado da desregulação do sistema de recompensa é o favorecimento contínuo de recompensas de curto prazo, o que chamamos antes de gratificação imediata como no exemplo do macaco.

O perigo de não parar esse ciclo é que tudo, absolutamente tudo, pode começar a ser adiado, o que explica a afirmação do estudo de que procrastinadores tem mais risco de doenças, pois adiam os cuidados preventivos.

O pior ainda pode ser o adiamento de praticamente tudo que importa na vida e um belo o indivíduo acorda e percebe que todas as suas oportunidades foram passadas adiante e talvez não haja tempo para recuperar nada.

Como vencer a procrastinação?

O assunto é pesado né!? Mas calma, respira fundo, se você sofre com procrastinação existem meios de vencê-la, e o principal é saber primeiro qual tipo pode ser o seu caso.

Existem dois tipos de procrastinadores:

O relaxado: ele vê suas responsabilidades de forma negativa e foge delas e redireciona sua energia para coisas que ele gosta mais.

É como uma forma de negação das coisas não divertidas ou não prazerosas.

O tenso-nervoso: ele sempre se vê dominado por pressões, é utópico ao referir-se ao tempo, não tem clareza de seus objetivos e vive acompanhado de muito sentimentos negativos.

É comum neste caso o indivíduo achar que precisa aliviar o stress, porém esses alívios são ineficientes e na verdade acabam por esgotar mais ainda os prazos, o que acaba por gerar mais atrasos e sentimento de fracasso.

Agora que você sabe os tipos, não importa qual deles você seja, as sugestões a seguir vão ajudar ambos a superar a procrastinação.

Procrastinadores crônicos tem níveis mais altos de estresse e um número maior de problemas sérios de saúde se comparado a outras pessoas, diz a pesquisa de Fuschia Sirois, professor de psicologia da Universidade Sheffield (Inglaterra), citadas em artigo do The Washintong Post. Aqui vai algumas dicas do estudo para superar a procrastinação:

  • Autocompaixão: é comum procrastinadores crônicos serem muito duros consigo mesmo. Porém julgar-se é muito ruim, o certo é tentar fazer sempre o melhor. Já a autocompaixão aumenta a motivação das pessoas em relação a si mesmas, diz o estudo;
  • Colocar sentido nas coisas: É preciso ter consciência do valor que suas ações têm, desde as mais simples, até grandes projetos. É sobre gerar significado para tudo o que você faz, o que tornará a tarefa de completar muito mais valioso para sua saúde mental
  • Começar pequeno: Procrastinadores crônicos costumar ficar paralisados com grandes projetos, ao invés de multiplicar em pequenas tarefas realizáveis até o prazo, eles perdem muito tempo útil em indecisões, pois são perfeccionistas, e só iniciam o projeto no prazo final.
  • Aprenda a priorizar: Escolher com cuidado as primeiras tarefas é essencial, pois o tempo gasto no início nunca será reposto no final, é na verdade uma ilusão: achar que depois você terá mais tempo. Faça o mais importante primeiro, seja fácil ou difícil;
  • Evite distrações: Nunca na história convivemos com tantas distrações fáceis, e para um procrastinador crônico elas são irresistíveis, de fato ele as quer, porém neste caso fugir por completo delas é questão de sobrevivência. Afinal, para qualquer ação tem uma distração!
  • Não caia em rotinas de procrastinação: essas rotinas são regras que só existem na cabeça do indivíduo, como: “Só consigo trabalhar se eu arrumar minha área de trabalho”, porém ao arrumá-la, o indivíduo começa a colocar outros empecilhos, que para ele são critérios, porém sempre há outro ritual mirabolante para evitar a tarefa;
  • Crie seu sistema de recompensa: permita-se ser recompensado após realizar alguma tarefa, começando pelas pequenas até as mais complexas. Por ex: para ficar um tempo nas redes sociais você precisa lavar a louça antes.
  • Peça ajuda a quem gosta de você: defina objetivos, escreva eles e mostre a pessoas que gostam de você, e peça que elas lhe cobrem a conclusão. É importante que sejam pessoas que gostem de você, pois elas importam-se com seu desenvolvimento.

Falamos até aqui várias formas de superar e evitar a procrastinação, pois nosso foco é desenvolver uma cultura de produtividade e sucesso, são valores que a Simplifica+ acredita e incentiva.

Entender a procrastinação e usar boas práticas para não dar vez ao adiamento são antídotos para este mal, afinal de contas, embora a parcela maior da sociedade não tenha problemas crônicos com a procrastinação, ainda assim pode ser afetada.

Lição do artigo

Estar consciente e presenta na vida é o primeiro passo, assumir o controle da sua vida, sem deixar levar-se pelas emoções negativas, e saber que o tempo é seu aliado, é o que temos agora e, portanto, deve ser vivido com qualidade.

A lição final é ter objetivos claros na vida, isso dará a motivação necessária para fazer e viver o agora, o amanhã é ilusório e passado não mais existe.

Gostou do assunto? Trouxe valor para você?

Assine nossos conteúdos e fique por dentro do que impacta o mercado B2B e de assuntos comportamentais como esse.

ola@simplificamais.com.br | +55 (47) 3370-7625 | +55 (47) 99630-0063 | A Plataforma Simplifica+ é um produto Adapcon